O TRT da 2ª Região esclarece os motivos do atraso no cumprimento do prazo, referente ao mês de dezembro, a que alude a Portaria nº 63 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo o Tribunal, dois fatores foram determinantes no atraso do envio ao CNJ dos contracheques de seus magistrados: “de um lado, o crescente aumento das aposentadorias de servidores, que abrem claros de lotação proibida pelas regras orçamentárias, emergindo evidente escassez de mão de obra; e, de outro, o aumento expressivo das atividades da Secretaria de Gestão de Pessoas no mês de dezembro, em razão das obrigações fiscais e legais, notadamente na preparação de folhas de pagamento”.

Reiterando o compromisso com a transparência, o TRT-2 já determinou a remessa dos dados, o que ocorrerá, no mais tardar, até o fim desta semana.